sábado, 23 de julho de 2016

Ovoscópio

A ovoscopia é o processo de verificação da presença ou não da formação do embrião dentro do ovo em questão. É realizado pela maior parte dos criadores e tem 100% de sucesso, excluindo os casos de mortes embrionárias, onde o ovo está fértil porém o desenvolvimento do embrião acaba sendo prejudicado por algum outro agravante.

O criador que aplica o método da ovoscopia em seu plantel, tem como vantagens, saber da situação atual do ovo examinado, e desta maneira, poder retirar os ovos "não férteis" da fêmea para que ela reinicie uma nova postura sem se desgastar. Ao meu ver não há desvantagens quando o assunto é a ovoscopia.
 

Ele pode ser feito de uma maneira muito fácil, e o processo de verificação da fertilidade é extremamente simples, sem segredo algum.

Os materiais usados para a construção de um ovoscópio são:
  • Madeira                                                                   
  • Lâmpada incandescente de 40 a 100 Watts               
  • Fios - Interruptor de campainha 
  • Papel vegetal                                                               
O método para a construção é o seguinte:

Para começarmos cortamos as madeiras com as devidas proporções de medida: área de 0,04 m² na base e no topo de madeira, com espessura de 1 cm. Altura de 30 cm e madeira com espessura de 1 cm. 

Desta maneira obteremos um retângulo, e a caixa estará montada. Agora, basta fazermos as instalações elétricas com a lâmpada na direção vertical, sentido de baixo para cima. Feito isto, recobrimos a parte de dentro com papel vegetal não deixando frestas, para uma melhor reflexão da luz. 

Após feito todo esse processo, fechamos a caixa e fazemos um furo na parte central superior de aproximadamente 1 cm de diâmetro para colocarmos o ovo e constatarmos a presença ou não do embrião como na figura ao lado.
Está pronto nosso ovoscópio e podemos então começar a fazer a ovoscopia.

Para quem não está afim de fazer um ovoscópio, também existe o produto pronto para venda em um preço bem acessível na loja virtual Terra dos Pássaros.



 
 Lembrando que é aconselhável realizar a ovoscopia entre o 5º e 8º dia após a fêmea ter começado a incubação.
 
 

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Peito Seco

O que é?

O “Peito Seco” é uma síndrome muito conhecida entre os passarinheiros, também é conhecida como "“Peito Quilha"” e "“Peito Faca”" dependendo a região do país. Não é uma doença, mas sim uma consequência de múltiplos fatores relacionados aos hábitos alimentares, tratamento e acondicionamento da ave. O nome é dado pelo fato do pássaro ficar magro na região abdominal, porém o nome correto da doença é "Caquexia", que ocorre estado de fraqueza progressiva, principalmente pela falta de apetite, mal estar e desgaste.

Vários fatores podem contribuir para que a ave venha a emagrecer, originando a caquexia, alguns dos fatores mais conhecidos são: Parasitismo crônico, tuberculose, cryptosporidiose, tumores, infecções crônicas por mycoplasma, coccidiose subclínica, diabetes, redução na alimentação devido a ansiedade, depressão, e magoas que podem ocorrer diante de uma perda de um parceiro de gaiola ou mesmo mudança de ambiente ou troca de dono.

O Peito Seco é uma doença terminal, raramente aves com esses sintomas conseguem se recuperar, mas se diagnosticado a tempo e com o tratamento correto, pode-se salvar a ave.


Como evitar?

Para evitar a doença é simples, basta ficar atento aos sintomas mostrados no texto anterior, observar se a aves comem corretamente, se não estão sendo expostas a stress no transporte ou mesmo sendo alvo de espantos repentinos, ou mesmo a mudança de proprietário, por exemplo o pássaro já esta acostumado com o dono e quando ele faz o famoso “rolo ou troca”, o pássaro pode vir a contrair esses sintomas por sentir falta do antigo dono, mas o fato mais comum é sobre a alimentação, nunca fornecer nada gelado a ave, pois podem provocar infecções no sistema digestivo e respiratório, impedindo o a ave de se alimentar, provocando fraqueza e dando origem assim ao Peito Seco.

Tratamento

Se a sua ave já esta com a doença, o que deve ser feito imediatamente, é isolar a ave, e oferecer a ela medicamentos que tentem reverter o quadro. Um dos medicamentos mais conhecidos no meio dos passarinheiros é o COCCIDEX, um medicamento facilmente encontrado em Pet Shops, Aviculturas, Agropecuárias e Loja Especializadas em Aves e Pássaros. Não é um medicamento caro, e a maioria é vendida fracionadamente, sendo assim você pode comprar apenas o suficiente para realizar o tratamento da ave infectada. Existem outros medicamentos como Penavit Plus, 100 P.S. e Peito Sadio, entre outros.

O Medicamento deve ser oferecido ao pássaro infectado, através do bebedouro, adicione a quantidade do medicamento conforme indicado na bula ou recomendada pelo médico veterinário na água do bebedouro e forneça essa água ao pássaro durante o período estipulado pela bula ou pelo veterinário.
Muitas pessoas usam esse medicamento mesmo quando não existe foco nem sintomas da doença, fazem apenas como prevenção, basta utilizar o medicamento com uma diluição maior do que a utilizada quando se tem a doença.

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Pernas Abertas ou deslocadas

Muitos criadores inexperientes e até alguns veteranos comentam que o filhote ficou aleijado, com a pata para o lado, e desconfiam ser decorrente de consanguinidade ou herança genética. Geralmente o filhote nasce perfeito e quando é o único no ninho ou este é muito raso, por falta de apoio, com o peso da fêmea, a perninha desloca-se para o lado e desenvolve-se nesta posição, podendo acontecer até com ambas as pernas.

Como evitar?
A primeira recomendação é deixar os ovos que não eclodiram no ninho ou preferivelmente substituir por outros de plástico. Servem de apoio ao filhote e para amparar o peso da fêmea. Outra providencia, quando nasce só um filhote, é a de transferi-lo para outro ninho que tenha filhotes do mesmo tamanho, ou dividir os filhotes do outro ninho, trazendo alguns para sua companhia. Também, recomenda-se evitar que a fêmea inicie o choco num ninho raso, fornecendo bastante material para que a mesma confeccione o ninho e/ou ajuda-la nesta tarefa. Se a fêmea não souber fazer o ninho, molde o ninho para ela.

Como corrigir a lesão?
Quando no início, às vezes basta ajeitar o ninho e colocar ovos de canários (ovos indez) para corrigir o problema. Mas, se quando você percebeu o filhote já está com a perna deslocada para o lado, então você terá de corrigir esta lesão o quando antes, mesmo que o canarinho já esteja empenado, se ele ainda estiver no ninho.
 
Faça o seguinte:

Acomode o canarinho de volta ao ninho, evitando que o mesmo fique de lado, nem que para isso tenha que aprofundar e fechar bem mais a cavidade do ninho, de modo que o mesmo possa apoiar-se nas laterais;

Corte um a tira de fita adesiva (5 mm de largura por 3 a 4 cm de comprimento);

Pegue o canarinho e coloque a perna na posição;

Imobilize a perna, envolvendo a fita adesiva na canela e prendendo-a a outra perna, de modo a deixar um espaço entre as duas pernas, para o corpo do canário.

Ou melhor, faça como o Dr. Lomba sugere: “coloque uma anilha em cada perna e passe um fio dental pelos anéis, amarrando as duas pernas na posição”. Bem mais fácil. O segundo anel pode ser de anos anteriores, de plástico ou até de macarrão;

Passado sete ou mais dias, retire a fita adesiva, cortando-a. Verifique se a lesão foi corrigida. Caso contrário, volte a imobilizar a perna por mais sete dias.